Eventos mais esperados do ano

Além do clássico Carnaval carioca e do famoso Réveillon em Copacabana, o Rio de Janeiro é sede, anualmente, de eventos de grandes proporções que atraem turistas de todas as partes do mundo. Em 2019, especialmente, a cidade é sede de dois eventos que prometem movimentar BILHÕES de reais. Neste post, informamos tudo o que você precisa saber sobre o Rock in Rio 2019 e a 46ª Copa América.

 

Rock in Rio

 

Maior evento musical do mundo desde 1985, em 2019 o Rock in Rio celebra mais uma edição. Apesar do nome, e da origem, no rock’n’roll, hoje o festival se diversifica, promovendo shows de artistas de estilos musicais como pop, funk, soul, MPB e música eletrônica. 

Idealizado pelo empresário Roberto Medina, grandes nomes da história musical já passaram pelos palcos do Rock in Rio. Atualmente, países do mundo inteiro desejam ter sua própria edição do festival. Outras regiões para o qual o festival se internacionalizou foram Madrid, na Espanha, e Lisboa, em Portugal. Las Vegas, nos Estados Unidos, também recebeu sua própria edição do evento pela primeira vez em 2015.

Nesta edição, a Cidade do Rock será montada, novamente, no Parque Olímpico, localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Três palcos compõem a estrutura de mais de 385 mil m² (60 mil m² a mais que em 2017): Palco Mundo, Palco Sunset e Palco New Dance Order, área de música eletrônica renovada nesta edição. Também fará parte do complexo o Espaço Favela, com shows diários de artistas da comunidade local. Os visitantes terão ainda à disposição um balcão de 500 metros para compra de bebidas, comidas e produtos licenciados do Rock in Rio. O número de banheiros (que não são químicos) também cresceu para quase mil.

 

Os shows tomarão parte nos dias 27, 28 e 29 de setembro e 3, 4, 5 e 6 de outubro. O primeiro dia será dedicado ao Hip-Hop, com grandes nomes como Drake e Cardi B no Palco Mundo e Mano Brown e Karol Conka no Palco Sunset. Já o segundo, terceiro e quarto dias remetem às origens do rock’n’roll com atrações como Foo Fighters, Bon Jovi e Red Hot Chilli Peppers. Entre os nomes nacionais estão CPM 22 e Capital Inicial. O quinto dia homenageia o metal e traz Iron Maiden, Scorpions e Megadeth, em contras com o sexto dia de shows, cuja pegada é pop, com nomes como P!nk, Black Eye Peas e Anitta. Mas também tem espaço para quem a batida indie, com shows de Muse e Imagine Dragons no último dia do festival.

Como os ingressos costumam acabar em cerca de minutos no site oficial do festival, as vendas começam de maneira antecipada para certos grupos, pertencentes a clubes exclusivos de parceiros do Rock in Rio. Entre eles estão os clientes dos cartões de crédito Itaú e Itaucard nas categorias Platinum, Black e Infinite, e do Credicard Black. Há também um clube de fidelidade do Rock in Rio que pode usufruir de diversos benefícios do festival, mediante pagamento de uma taxa mensal que começa em X reais. O público em geral deve aguardar até meados de abril para comprar o passe. Neste ano, os ingressos para o gramado, por dia, custam 525 reais, sendo a meia entrada 262,50.

A última edição do festival, realizada em 2017, movimentou mais de 1 bilhão de reais na economia carioca. Sessenta e cinco por cento do público, ou seja, cerca de quatrocentas mil pessoas, vieram de fora do Rio, e mais de vinte e mil pessoas trabalharam no evento. Isso tem grande relevância não só para o setor de hotelaria, mas também para aqueles que possuem apartamentos para alugar no Rio de Janeiro e pretendem dispor espaços vagos através de imobiliárias ou até mesmo de aplicativos como o AirBnb, garantindo uma renda extra durante o festival.

 

Copa América

 

Os fãs de futebol (principalmente dos maiores clubes do Brasil: Flamengo, Corinthians, Cruzeiro, Palmeiras)já devem estar sabendo que esse ano o Brasil receberá a Copa América, principal torneio masculino entre seleções da América do Sul. Mas um fato relevantes para quem busca investir na região do Rio de Janeiro é que a capital fluminense sediará a final, no grande estádio do Maracanã.

Oficialmente chamada de CONMEBOL, a 46ª edição da Copa América é organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol. É a quinta vez na história que o Brasil recebe a competição, tendo as outras edições acontecido em 1919, 1922, 1949 e 1989. Coincidentemente, o evento retorna ao país 30 anos desde a última edição e 100 anos após a primeira vez que foi realizado em solo brasileiro. O país deveria receber o evento em 2015, mas devido à organização de outros eventos esportivos no país durante a década, como a Copa das Confederações de 2013, a Copa do Mundo FIFA de 2014 e os Jogos Olímpicos de Verão de 2016, o país trocou de edição com o Chile. 

As cinco cidades-sedes que receberão os jogos foram anunciadas na metade de 2018 pela Confederação Brasileira de Futebol. São elas: Salvador, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Em São Paulo, no entanto, serão realizadas partidas em dois estádios, a Arena Corinthians e o Estádio do Morumbi, sendo o segundo sede da partida de abertura. 

 

Além dos dez países sul-americanos membros da CONMEBOL (Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), Japão e Catar, membros da Confederação Asiática de Futebol (AFC), participam como convidados. São três títulos da Copa do Mundo da FIFA reunidos em campo, além de diversas estrelas do futebol internacional. 

A competição tem início dia 14 de junho, com o jogo do Brasil contra Bolívia, seguindo no estilo “mata-mata” até o dia 7 de julho, quando será anunciado o grande vencedor. Até então, já são mais de 280 mil entradas vendidas, para torcedores de 83 países diferentes. O diretor de Operações do Comitê Organizador Local da Copa América, Agberto Guimarães, afirma que o potencial turístico das cinco cidades-sedes e o encontro de jogadores de altíssimo nível competindo no esporte mais popular do planeta contribuem de forma expressiva no sucesso da venda dos ingressos.